Estudo de caso

Asia Bibi – primeira mulher condenada à morte por blasfémia no Paquistão é libertada

Maio de 2019

Asia Bibi
Asia Bibi

Após uma longa batalha em busca de justiça, Asia Bibi deixou o Paquistão, país onde nasceu, para viajar para o Canadá e reencontrar-se com a sua família. Detida por acusação de blasfémia em 2009, foi considerada culpada em Novembro de 2010, tendo-se tornado na primeira mulher a ser condenada à morte por enforcamento devido a este crime. Sempre defendeu a sua inocência. Contudo, a justiça foi sendo sucessivamente adiada. A audiência para decidir o seu pedido de recurso foi adiada cinco vezes, até que o Tribunal Superior de Lahore confirmou a pena de morte em Outubro de 2014. No entanto, quatro anos mais tarde, um recurso apresentado ao Supremo Tribunal do Paquistão anulou a decisão. A sua filha, Eisham Ashiq, disse à Ajuda à Igreja que Sofre: “Este é o momento mais extraordinário. Agradeço a Deus por ter ouvido as nossas orações.” Mas, mesmo assim, o pesadelo não estava terminado, pois houve protestos em massa que levaram o Governo a permitir que fosse apresentado recurso da decisão. Contudo, em Janeiro de 2019, o Supremo Tribunal confirmou finalmente a sua absolvição. Ao falar sobre a sua libertação definitiva, o Padre Emmanuel Yousaf, Director Nacional da Comissão Justiça e Paz do Paquistão, disse à Ajuda à Igreja que Sofre: “Ao longo de quase 10 anos, este foi o dia pelo qual todos esperámos, o dia em que a família pode finalmente voltar a estar junta.”

Mais artigos