Perfil do país

EGIPTO

O número de grandes ataques à bomba a igrejas no Egipto decresceu em comparação com os dois anos anteriores, quando as explosões atingiram o coração da comunidade Cristã Copta, matando e mutilando os que participavam na missa nas catedrais mais importantes do país no Cairo e em Alexandria.(1) Apesar disso, ocorreram vários ataques graves, incluindo o de Novembro de 2018 a um autocarro que transportava peregrinos cristãos.(2) O declínio dos actos violentos sugeria que havia progressos na determinação do Presidente al-Sisi em lidar com o Daesh (ISIS), que tinha reivindicado a responsabilidade de muitos dos ataques. Em Janeiro de 2019, falhou um plano de ataque à bomba quando o Imã Saad Askar reagiu imediatamente aos relatos de frequentadores das mesquitas sobre actividades suspeitas perto da Igreja da Virgem Maria e Abu Seifin, na cidade de Nasr.(3) Alguns dias antes, um polícia tinha sido morto ao desarmar uma bomba perto de uma igreja noutro dos subúrbios do Cairo.(4) Entretanto, continuam a ocorrer protestos contra edifícios religiosos, um problema que aparentemente piorou desde que o Governo tornou mais fácil a aprovação legal de licenças de construção de edifícios religiosos.(5) E as mulheres e raparigas cristãs coptas continuam a ser raptadas para conversão e casamento forçados.

1. “Egypt’s Coptic Christians targeted in deadly attacks”, Al Jazeera, 29 de Dezembro de 2017, https://www.aljazeera.com/news/2017/12/casualties-feared-gunman-attacks-helwanchurch-171229095924671.html (acedido a 27 de Junho de 2019).

2. Samy Magdy e Hamza Hendawi, “Officials say attack on Christian pilgrims in Egypt kills at least 7”, Crux, 2 de Novembro de 2018, https://cruxnow.com/church-in-africa/2018/11/02/officials-say-attackon-christian-pilgrims-in-egypt-kills-at-least-7/ (acedido a 27 de Junho de 2019).

3. John Burger, “Imam foils bomb attack against Coptic church in Egypt”, Aleteia, 15 de Janeiro de 2019, https://aleteia.org/2019/01/15/imam-foils-bomb-attack-against-coptic-church-in-egypt/ (acedido a 27 de Junho de 2019).

4. “Egyptian explosives expert killed defusing bomb near church in Cairo”, Catholic News Agency, 6 de Janeiro de 2019, https://www.channelnewsasia.com/news/world/egyptian-explosives-expertkilled-defusing-bomb-near-church-in-cairo-11091720 (acedido a 27 de Junho de 2019).

5. “Egypt”, United States Commission on International Religious Freedom Report 2019, https://www.uscirf.gov/sites/default/files/Tier2_EGYPT_2019.pdf (acedido a 27 de Junho de 2019).

6. “Egypt attack: Gunman targets Coptic Christians in church and shop”, BBC News, 29 de Dezembro de 2017, https://www.bbc.co.uk/news/world-middle-east-42511813; Youssef, A, “Gunmen kill Christian worshippers at Coptic church near Cairo”, The Guardian, 29 de Dezembro de 2017, https://www.theguardian.com/world/2017/dec/29/gunman-launches-deadly-attack-on-coptic-churchnear-cairo (acedido a 27 de Junho de 2019).

7. Chris Baynes, “Isis attack on Christian worshippers near Coptic monastery in Egypt kills seven“, Independent, 2 de Novembro de 2018, https://www.independent.co.uk/news/world/africa/egyptchristian-bus-attack-coptic-latest-anba-samuel-monastery-terror-a8614461.html; “Egypt attack: Gunmen kill seven Coptic Christians in bus ambush”, The Guardian, 3 de Novembro de 2018, https://www.theguardian.com/world/2018/nov/03/egypt-attack-gunmen-kill-coptic-christians-bus-ambush (acedido a 27 de Junho de 2019).

8. “Minya Manshiyet Zaafarana Copts Attacked, Church Closed”, Coptic Solidarity, 13 de Janeiro de 2019, https://www.copticsolidarity.org/2019/01/13/minya-manshiyet-zaafarana-copts-attackedchurch-closed/; Hadeer El-Mahdawy, “Coptic Christian place of worship shuttered in Minya after Muslim residents protest”, Mada, 16 de Janeiro de 2019, https://madamasr.com/en/2019/01/16/news/u/coptic-christian-place-of-worship-shuttered-in-minya-village-after-protests-by-muslim-residents/ (acedido a 27 de Junho de 2019).

Dezembro de 2017

Foi confirmada a morte de nove pessoas quando, pelo menos, dois atiradores atacaram a Igreja Copta de Mar Mina no distrito de Helwan, no sul do Cairo. Entre os mortos incluíam-se membros da congregação e um polícia envolvido num tiroteio. Várias outras pessoas ficaram feridas, muitas das quais guardas que protegiam a igreja. A segurança governamental disse que o culpado “ia fazer-se explodir usando um cinto suicida”. Posteriormente, especialistas em explosivos desmantelaram dois dispositivos explosivos improvisados perto da igreja.(6)

Novembro de 2018

Sete pessoas foram mortas e 19 ficaram feridas quando extremistas muçulmanos emboscaram três autocarros que transportavam peregrinos cristãos a caminho de um mosteiro remoto a sul do Cairo. De acordo com a Igreja Ortodoxa Copta, apenas um dos mortos não pertencia à mesma família. Entre os mortos estava um rapaz de 15 anos e uma rapariga de 12 anos. O Daesh reivindicou a responsabilidade pelo ataque, referindo que se tratava de uma vingança contra as autoridades egípcias por encarcerarem “as nossas irmãs castas”.(7)

Janeiro de 2019

A polícia encerrou a única igreja na aldeia de Manshiyet Zaafarana, em Minya, deixando 1.000 Coptas sem um local de culto. Residentes muçulmanos rodearam o edifício e exigiram que ele fosse encerrado, usando o que a Arquidiocese de Minya descreveu como linguagem “ofensiva e inflamatória”. Alegadamente, a polícia tomou o lado dos manifestantes e encerrou o edifício. Uns dias antes, a 7 de Janeiro de 2019, o edifício tinha sido invadido a poucas horas da Missa de Natal. A polícia retirou os manifestantes.(8)

More articles

NIGÉRIA

“Há um objectivo claro: islamizar todas as áreas que

IRAQUE

Os Cristãos regressaram lentamente às suas cidades e aldeias

ÍNDIA

Durante o período em análise, houve relatos de ataques

CHINA

As dificuldades sentidas pelos crentes aumentaram, pois o novo

PAQUISTÃO

Os Cristãos estão sujeitos a perseguições violentas e discriminação,

SUDÃO

Em Maio de 2019, o Conselho Militar de Transição