Perfil do país

NIGÉRIA

“Há um objectivo claro: islamizar todas as áreas que actualmente são predominantemente cristãs.”(1) Esta observação, feita pelo Bispo Wilfred Anagbe de Mukurdi, surgiu entre relatos que sugerem que, ao longo do período em análise, houve um aumento no número e gravidade dos ataques contra os Cristãos na região do Middle Belt. Embora o contexto desta violência seja complexo, uma vez que as rivalidades étnicas, as alterações climáticas e uma procura cada vez mais desesperada por pastagens frescas desempenham papéis importantes, os pastores fulani militantes islamitas foram considerados responsáveis pelos ataques, demonstrando um claro ódio religioso virulento. Tal foi evidente na violência, que incluiu um ataque armado, em Abril de 2018, a uma igreja de aldeia no estado de Benue que matou 19 pessoas, incluindo dois sacerdotes. Os relatos desse ano indicam “um aumento”(2) nos ataques tanto por parte dos Fulani como do grupo islamita militante Boko Haram, especialmente activo no nordeste da Nigéria. No ano seguinte, o clero relatou que os ataques contra os Cristãos estavam “a aumentar em crueldade e frequência”,(3) havendo maior número de ataques perpetrados pelos Fulani do que pelo Boko Haram. Nessa altura, estava em declínio a confiança de que o Governo de Muhammadu Buhari, reeleito presidente em Fevereiro de 2019, estivesse a ganhar a batalha contra os insurgentes islamitas militantes, e os bispos pediam-lhe que “considerasse renunciar ao cargo”.(4)

1.“Nigeria – A New Emergency”, Ajuda à Igreja que Sofre (Reino Unido), de Junho de 2018, https://acnuk.org/campaign/nigeria2018/ (este e todos os sites a seguir relativos ao perfil de país da Nigéria foram acedidos a 7 de Junho de 2019, excepto indicação em contrário).

2. “Nigeria”, United States Commission on International Religious Freedom Report 2018, pp. 54-55, https://www.uscirf.gov/sites/default/files/2018USCIRFAR.pdf

3. John Newton e Roman Kris, “Attacks on Nigeria’s Christians are growing”, Notícias da Ajuda à Igreja que Sofre (Reino Unido), 7 de Junho de 2019, https://acnuk.org/news/attacks-on-nigerias-christians-are-growing/

4. Murcadha O’Flaherty e John Pontifex, “Bishops – President should resign for inaction over ‘killing fields and mass graveyard’”, Ajuda à Igreja que Sofre (Reino Unido), 30 de Abril de 2018, https://acnuk.org/news/bishops-president-should-resign-for-inaction-over-nigerias-killing-fields-and-mass-graveyard/

5. “Christian Lawyers Call for Release of Leah Sharibu”, CSW, 23 de Março de 2018, https://www.csw.org.uk/2018/03/23/press/3887/article.htm; “Nigeria: Security forces failed to act on warnings about Boko Haram attack hours before abduction of schoolgirls”, Amnesty International, 20 de Março de 2018, https://www.amnesty.org/en/latest/news/2018/03/nigeria-abduction-of-schoolgirls-security-forces-failed-to-act-boko-haram/

6. “Over 300 Nigerian Christians slain in merciless killing spree by Fulani militants since February”, Barnabus Fund, 19 de Março de 2019, https://barnabasfund.org/en/news/over-300-nigerian-christians-slain-inmerciless-killing-spree-by-fulani-militants-since; “Hundreds of Christians killed in Nigeria attacks”, ABC Action News, 19 de Março de 2019, https://www.abcactionnews.com/news/world/hundreds-of-christians-killed-innigeria-attacks; “Militia attacks claim 120 lives since Feb”, CSW, 14 de Março de 2019, https://www.csw.org.uk/2019/03/14/press/4249/article.htm (todos os sites foram acedidos a 26 de Julho de 2019).

7. Lindy Lowry, “Urgent Prayer: 25 Christians in Nigeria killed by Boko Haram in door-to-door attacks”, Open Doors (EUA), 2 de Maio de 2019, https://www.opendoorsusa.org/christian-persecution/stories/urgent-prayer25-christians-in-nigeria-killed-by-boko-haram-in-door-to-door-attacks/; “25 Christians Killed by Boko Haram in Door-to-Door Attacks”, International Christian Concern, 3 de Maio de 2019, https://www.persecution.org/2019/05/03/25-christians-killed-boko-haram-door-door-attacks/

Fevereiro de 2018

Militantes islamitas raptaram cerca de 110 alunas de um colégio em Dapchi, no estado de Yobe, no nordeste da Nigéria, a 19 de Fevereiro de 2018, libertando-as todas no prazo de um mês, excepto uma, Leah Sharibu, de 14 anos, a única Cristã entre elas. Depois de serem libertadas, algumas das raparigas disseram que Leah tinha permanecido cativa porque se tinha recusado a abandonar a sua fé Cristã. No momento em que escrevemos, mais de 18 meses após ter sido raptada, Leah Sharibu continua em cativeiro.(5)

Fevereiro-Março de 2019

Segundo vários relatos, mais de 280 pessoas foram mortas numa série de ataques perpetrados por pastores Fulani a povoados predominantemente cristãos em todo o estado de Kaduna. Há também relatos de abusos sexuais e mutilações. Estes ataques incluíram a morte de, pelo menos, 120 membros do grupo étnico adara em Kajuru, aparentemente mortos nos ataques de retaliação que se seguiram ao anúncio televisivo pelo governador do estado, El-Rufai, de que 66 pastores Fulani tinham sido mortos pelos adara. Mais tarde, El-Rufai alegou que o número de mortos tinha subido para 130. As suas afirmações foram amplamente questionadas.(6)

Abril de 2019

Militantes do Boko Haram foram de porta em porta na noite de 29 de Abril de 2019, matando cerca de 25 pessoas numa comunidade com muitos Cristãos em Kuda, perto de Madagali, no estado de Adamawa, nordeste da Nigéria. No dia seguinte, à medida que os sobreviventes começavam a sepultar os seus mortos, os militantes islamistas “foram vistos a aproximar-se para um segundo ataque”, o que levou as pessoas locais a fugirem. Após o ataque, mais Cristãos fugiram de Kuda.(7)

More articles

IRAQUE

Os Cristãos regressaram lentamente às suas cidades e aldeias

ÍNDIA

Durante o período em análise, houve relatos de ataques

EGIPTO

O número de grandes ataques à bomba a igrejas

CHINA

As dificuldades sentidas pelos crentes aumentaram, pois o novo

PAQUISTÃO

Os Cristãos estão sujeitos a perseguições violentas e discriminação,

SUDÃO

Em Maio de 2019, o Conselho Militar de Transição