Perfil do país

REPÚBLICA CENTRO-AFRICANA

O massacre de mais de 110 pessoas, sobretudo Cristãos – incluindo dois sacerdotes e um pastor –, num campo de deslocados gerido pela Igreja,(1) pôs a nu a escala do conflito interno que afecta o país. O ataque no final de 2018 foi um dos muitos actos de violência por parte de milícias ex-Seleka, que levaram a cabo ataques ao longo de linhas sectárias. As comunidades muçulmanas também sofreram, havendo relatos de uma “onda violenta de limpeza étnica”(2) na zona oeste do país. Grupos de milícias anti-Balaka, formados para combater os ex-Seleka, estiveram eles próprios implicados nos ataques a civis. O Bispo Juan José Aguirre Muñoz, de Bangassou, disse à AIS que os mercenários estrangeiros que entram na RCA para pilhar os seus recursos naturais continuaram a destabilizar a região.(3) O acordo de paz de Fevereiro de 2019 entre o Governo e 14 grupos armados sofreu enormes pressões e uma das facções ex-Seleka abandonou o acordo logo em Março.(4)

1. “Attack on the Displaced Persons’ Camp in Alindao, Basse-Kotto Prefecture, on 15th de Novembro de 2018: Breaches of International Humanitarian Law and Atrocity Crimes Committed by the UPC and anti-Balaka associated militias”, MINUSCA, 28 de Fevereiro de 2019, https://minusca.unmissions.org/sites/default/files/minusca_human_rights_divisions_report_on_alindao.pdf (acedido a 22 de Julho de 2019).

2. “Central African Republic: Erased identity: Muslims in ethnically-cleansed areas of the Central African Republic”, Amnesty International, 31 de Julho de 2015, https://www.amnesty.org/en/documents/afr19/2165/2015/en/ (acedido a 22 de Julho de 2019).

3. Ajuda à Igreja que Sofre (Internacional), 10 de Abril de 2019, https://acninternational.org/country/central-african-republic/ (acedido a 22 de Julho de 2019).

4. “Central African Republic peace deal under strain”, Business Day, 4 de Março de 2019, https://www.businesslive.co.za/bd/world/africa/2019-0304-central-african-republic-peace-deal-under-strain/ (acedido a 22 de Julho de 2019).

5. Murcadha O’Flaherty e John Newton, “Priest witnesses Church attack – at least 19 killed”, Notícias da Ajuda à Igreja que Sofre (Reino Unido), 3 de Maio de 2018, https://acnuk.org/news/car-priest-witnesses-church-attack-at-least-19-killed/; “CAR: Catholic Priest killed in church attack”, Christian Solidarity Worldwide, 4 de Maio de 2018, https://www.csw.org.uk/2018/05/04/press/3956/article.htm (acedido a 22 de Julho de 2019).

6. “Attack on the Displaced Persons” Camp in Alindao, Basse-Kotto Prefecture, on 15 de Novembro de 2018: Breaches of International Humanitarian Law and Atrocity Crimes Committed by the UPC and anti-Balaka associated militias”, MINUSCA, https://minusca.unmissions.org/sites/default/files/minusca_human_rights_divisions_report_on_alindao.pdf (acedido a 22 de Julho de 2019).

7. Devin Watkins, “Pope recalls missionary sister killed in Central African Republic”, Vatican News, 22 de Maio de 2019 https://www.vaticannews.va/en/pope/news/2019-05/pope-francis-missionary-sister-killed-priest-mozambique.html; John Burger, “European nun killed in Central African Republic, where she taught local girls”, Aleteia, 23 de Maio de 2019 https://aleteia.org/2019/05/23/european-nun-killed-in-central-africanrepublic-where-she-taught-local-girls/; Rachel Russell, “Christianity crackdown: Horror after nun decapitated in brutal attack”, Daily Express, 1 de Junho de 2019 https://www.express.co.uk/news/world/1134848/christianity-news-central-african-republic-nun-attack-catholic

Maio de 2018

Pelo menos 19 pessoas foram mortas, incluindo o Padre Albert Baba, e cerca de 120 ficaram feridas num ataque durante a Eucaristia de 1 de Maio, na Igreja de Nossa Senhora de Fátima, em Bangui. O pároco, Padre Moses Otii, disse que os atacantes “eram muito mais do que a polícia e esta recuou. Depois os atacantes começaram a disparar contra a igreja e a atirar granadas contra as pessoas.”(5)

Novembro de 2018

101 cristãos e 11 muçulmanos foram mortos quando um grupo ex-Seleka chamado União para a Paz atacou um campo de deslocados gerido pela Igreja em Alindao. Entre os mortos no massacre de 15 de Novembro estavam o Pastor Gabriel Singa e dois sacerdotes, o Padre Mada Blaise e o Padre Célestin Ngoumango. O campo, que albergava mais de 26.000 pessoas, ficou totalmente destruído. O Bispo Cyr-Nestor Yapaupa, de Alindao, disse: “Os idosos e as pessoas com deficiência foram pura e simplesmente queimados vivos, se é que não tivessem já sido mortos a tiro ou decapitados… Os atacantes limitaram-se a disparar indiscriminadamente contra as pessoas.” Tropas da ONU conspiraram alegadamente com os militantes.(6)

Maio de 2019

O corpo da Irmã Inês Nieves Sancho, de 77 anos, foi encontrado decapitado e mutilado em Nola, no sudoeste da RCA, perto da fronteira com o Chade. Durante a noite de 19 para 20 de Maio, os assaltantes entraram na sua casa e, arrastando-a para o local onde ela dava aulas de costura a raparigas locais, cortaram-lhe a garganta. Militantes ex-Seleka, que se autodenominam 3R, foram acusados de serem responsáveis pelo ataque.(7)

More articles

NIGÉRIA

“Há um objectivo claro: islamizar todas as áreas que

IRAQUE

Os Cristãos regressaram lentamente às suas cidades e aldeias

ÍNDIA

Durante o período em análise, houve relatos de ataques

EGIPTO

O número de grandes ataques à bomba a igrejas

CHINA

As dificuldades sentidas pelos crentes aumentaram, pois o novo

PAQUISTÃO

Os Cristãos estão sujeitos a perseguições violentas e discriminação,

SUDÃO

Em Maio de 2019, o Conselho Militar de Transição